29 janeiro 2019

Vale?

Por: Liduína Tavares (Cadeira n° 11 - Academia Bacabalense de Letras)

O que vale
A vida
Quando a Vale
 Soterra?

Mais vale
A vida inatura
Ou o desenvolvimento
Da Vale?

O capital
Que mais vale
Não pode ser
O da Mais-valia da Vale!

Valha-me, Deus!
Pois que a vida ainda valha
Mesmo que para a Vale
Não valha!

Vale de lágrimas
De lamas invasoras
Tomou o nosso país
E das Minas se apossou,

Pousada no Maranhão
E (des)vale a vida indígena
Oh! Vale de lágrimas
De lama escorrida.

Que será do Rio Flores
Aquela barragem, vale?
Livra-nos, Deus
De sangrar esta ferida!

Alertem-se autoridades
A barragem do Rio Flores
Pode ser bomba de pavio aceso.
Não vale, fingir não existir!

O capital que sustenta a Vale
Apoia-se no poder:
Político, jurídico
Mas saber isto o que vale?

Sangra a terra devastada
A alma ensanguentada
Mas a vida o que que vale?
E a Vale...!


Nenhum comentário:

CONCILIAÇÃO ITINERANTE EM BOM LUGAR.

 O  Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), por meio do projeto Conciliação está oeferencendo um serviço itinerante para  a população de Alt...