sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

FLORÊNCIO NETO PRECISA...


Entra dia e sai dia, mas o conselho continua o mesmo.

Política  é “a arte do possível”, mas nada é unânime ou plenamente aceitável, no que diz respeito à política.

Até que se julgue a ação no TSE o prefeito de Bacabal é o jovem Florêncio Neto. Ele já informou (e vem cumprindo) que nada vai mudar e que vai lutar ao lado de seu líder Zé Vieira.


Fala-se em uma boca só que o município de Bacabal é governado pelo empresário Jaime Rocha e pela primeira dama Patricia Vieira, mas com o afastamento definitivo de Zé Vieira da prefeitura fica uma dúvida sobre o futuro da administração municipal.

O jovem político bacabalense se encontra em uma encruzilhada, confrontado a um dilema, que a meu ver definirá quem ele poderá vir a ser, mais do que qualquer outra coisa em sua carreira, até agora.

Poucos políticos conseguem se notabilizar quando jovens. A notoriedade vem normalmente com o passar dos anos e com a prática deste ofício que envolve um mínimo de inteligência, uma boa dose de sabedoria, bastante diplomacia e capacidade de aglutinação, isso para que se alcance algum sucesso.

Não se espera um rompimento, nenhum ato de traição como prega a oposição. A equipe de governo é boa e já provou isso nesse primeiro ano de governo e não precisa ser mudada drasticamente, porém, o que se espera da juventude é ação. O que se pretende ver mudada é a atitude.

Na minha opinião, a melhor forma do prefeito Florêncio Neto defender o líder Zé Vieira é fazendo a população perceber que ele aprendeu a zelar pelo patrimônio de Bacabal. Para fazer isso ele precisará ter desprendimento e obstinação, mas principalmente precisará confiar nas pessoas com quem tiver que compor esse transição. Não dá para esperar até o TSE decidir, sob pena de passar para história pela omissão.

POVO x JUSTIÇA.


Em pesquisa feita menos de uma semana depois da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em segunda instância, os brasileiros se dividiram quando questionados pelo instituto Datafolha, em dados divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo na quinta-feira (01), a respeito do direito do petista disputar a Presidência da República nas eleições de outubro.
Enquanto 51% acreditam que Lula não deveria poder ser candidato, outros 47% defendem a colocação do seu nome. A diferença entre os dois percentuais fica dentro da margem de erro do levantamento, que é de 2% para mais ou para menos.
Para conseguir se candidatar, o ex-presidente deve apresentar seu registro na data prevista e buscar um efeito suspensivo nas cortes superiores para retardar o efeito da pena.
A expectativa da maior parte dos eleitores questionados é que o petista deve conseguir algum instrumento que o permita estar na disputa. Segundo o Datafolha, 32% afirmam que ele vai, “com certeza”, ser candidato, enquanto outros 21% dizem que Lula “talvez” disputará, somando 53% do eleitorado. Outros 43% acreditam que ele não vai concorrer e 4% não responderam.

Na região Nordeste, o apoio ao seu direito de ser candidato chega a 73%. No Norte, são 53% a favor da presença dele como presidenciável. 

Não sou mais eleitor do Lula, mas sempre dou razão para a maioria. Só falta agora a cúpula de Curitiba dizer que nós somos burros e não sabemos escolher candidato. ´

NOVO JUIZ NO TRE - MA.

O juiz titular da 3ª Vara Criminal de São Luís, José Gonçalo de Sousa Filho, foi eleito para compor a Corte do Tribunal Regional Eleito...