28 abril 2014

BANDIDO NÃO QUER SER DOUTOR.

Essa foi a frase foi mais repetida em Bacabal na semana passada, com a morte do mal feitor conhecido como Galego.

Ainda menor, Galego, confessou ter sido o autor de vários assassinatos e não demonstrava nenhuma menção de arrependimento quando de suas prisões, ao contrario, relatou em varias entrevistas pra TV, frases de impacto, tais como:

"não me arrependo das coisas que faço não ó"

“ninguém diz que vai matar ao vivo não”

“se eu matei o cara la, pra que que eu ia voltar la”

E ao ser indagado sobre se queria mudar de vida soltou a celebre frase:

“bandido não quer ser doutor”

Esse comportamento foi coroado com uma troca de tiro entre policia e bandidos culminando com a morte de “Galego” e “Chuta lata”.

Ambos haviam sido preso recentemente e liberados pela justiça.

Será que não ta na hora de repensar o papel do judiciário???

3 comentários:

Anônimo disse...

Essa conversa de falta de educação e de oportunidade virou poesia na boca de bandido!mas que na verdade a oportunidade somos nós que fazemos .nós pobres já somos marginalizados pelo um corte de cabelo ou uma tatuagem no braço imagine quem vai dar oportunidade pra uma pessoa que rouba mata e comete outros delitos.eu fui criado na pobreza mas nunca roubei vendia dindin bolo cocada e hj sou um micro empresario. a principal causa dessa situação é propria justiça em não deixar menor sem trabalhar já que não quer estudar tem que aprender uma profissão ou caso contrario o fim é esse!lamentavelmente...

♫O♫F♪L♪A♪U♪T♪I♪S♪T♪A♫R♪E♪V♪O♪L♪T♪A♪D♪O♫ disse...

A culpa principal dessa situação atual é dos nossos governantes, neste caso específico dos nossos representantes na Câmara e Senado Federais, com a criação de leis que praticamente impedem o trabalho para menores de 18 anos; eles interpretam com o mesmo rigor situações completamente diferentes que no caso são os menores que trabalham para ajudar no sustento da família, com o aval de seus responsáveis, confundindo isto com situações degradantes de trabalho infantil onde crianças fazem serviços que adultos deveriam fazer. Meu avõ começou a trabalhar com 8 anos de idade na roça e cnseguiu com o suor de seu trabalho criar 10 filhos; meu pai começou a trabalhar com 12 anos ajudando o pai dele na roça, depois com 14 passou a trabalhar como office boy em um banco (fez uma prova p/ conseguir entrar) e quando completou 18 anos foi contratado pelo mesmo banco e trabalhou nele até se aposentar, criando 3 filhos com responsabilidade; eu mesmo comecei a trabalhar com 14, quase 15 anos, como office boy em um escritório de contabilidade, mesmo tendo pai bancário e uma vida confortável em comparação com tantos outros habitantes de nossa cidade. Eu nunca soube ou ouvi dizer de meu avô e meu pai terem alguma vez na vida se reclamado por terem "perdido" sua infância e por terem começado a trabalhar cedo na vida, e tampouco eu me reclamo também.
Outro erro, este possivelmente até pior, é essa tal "Lei da Palmada" onde diz que castigo físico não pode ser mais usado pelos pais com seus filhos. Tem um ditado dos tempos do meu avô que diz "quem não faz seus filhos chorar, chora por eles". O governo quer tirar o poder que nós, como pais, temos que utilizar (com parcimônia) pra ajudar na educação dos nossos filhos; querem comparar uma palmada com tortura !!!! Eles não querem que castiguemos nosso filhos, para depois quando eles crescerem apanhar da polícia, isso se não forem mortos ????
Galego é a prova viva disso tudo que acabei de falar e infelizmente em nossa cidade, nosso Estado e nosso país nesse exato momento existem milhares, dezenas de milhares de Galegos e Chuta Latas e outros mais candidatos a marginais, prontos para matar ou serem mortos, frutos do descaso de nossas autoridades para com a educação pública, de nossa incapacidade em escolher governantes sérios e de nossos ilustres deputados criadores de leis toscas e sem noção. Brasil, um país de tolos.

Anônimo disse...

A culpa é do seu voto!

MOTORISTA PODE SER COBRADOR.

  O  TRT-MA decide que é  inconstitucional a lei municipal que proibia o acúmulo de funções de motorista no transporte público de São Luís. ...